Minas terá selo para atestar a qualidade da produção de cervejas artesanais no Estado

Objetivo é consolidar o mercado e formar polo cervejeiro organizado

Assim como o vinho chileno, a cerveja artesanal mineira vai ganhar força e “grife”. O Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de Minas Gerais (SindBebidas), ligado à Federação das Indústrias do estado (Fiemg), vai lançar no próximo mês a marca coletiva da bebida fermentada produzida no estado. “Vamos criar uma identidade coletiva registrada em Minas. Estamos pesquisando quais são os diferenciais da bebida produzida no estado. É uma forma de consolidar o mercado cervejeiro e a formação de um polo organizado”, afirma o superintendente do SindBebidas, Cristiano Lamego.

A marca, que deve ser atrelada a um selo de qualidade, será registrada junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). O setor também pleiteia junto ao poder público incentivos fiscais e redução de impostos sobre a produção das artesanais mineiras. “Queremos também desconto no IPTU de estabelecimentos que comercializam as cervejas produzidas aqui”, afirma Lamego, ressaltando que a produção de cerveja artesanal emprega, proporcionalmente, mais do que os rótulos produzidos por grandes marcas.

Aliado à produção de cervejas artesanais, cresce toda uma cadeia produtiva vinculada ao negócio. No mês passado, a Fürst Bier, cervejaria artesanal de Formiga, no Centro-Oeste de Minas, inaugurou um pub em Belo Horizonte. A Uaimií Cervejaria de Fazenda, assim como Backer e Wäls, também contam com bares próprios. Além de ganhar espaço nas prateleiras dos supermercados, lojas e bares especializados nas artesanais aumentam em BH. Na mesma proporção, festivais focados na bebida atraem cada vez mais público. “É uma tendência entre as cervejarias artesanais abrir seus bares de fábrica. Com isso, elas não ficam dependentes de um ponto de venda”, afirma a sommelier de cerveja Fabiana Arreguy. E assim o mapa das cervejas artesanais mineiras fica a cada dia mais atrativo para os amantes da loura gelada de qualidade.

Fonte: Estado de Minas Online (2 de abril de 2017)